Para onde vai o dinheiro das multas?

Para onde vai o dinheiro das multas?

Esta pergunta é ouvida com muita freqüência; Cada Estado da federação tem suas próprias regras, e o que vale num Estado nem sempre vale no vizinho; Para que o tema não fique muito aberto, vamos deixar de fora as multas aplicadas pela PRE e pela PRF, e nos concentrar nas multas aplicadas pela PM e pela Guarda Municipal de Tubarão, por exemplo; O artigo 320 do CTB não deixa dúvidas, estabelecendo a vinculação da receita com as multas, que deve ser aplicada exclusivamente em sinalização, Continue lendo

O Recall

O Recall

1. Não há ainda na nossa língua uma palavra que defina com exatidão, de modo claro e simples o significado de “recall”; literalmente esta expressão da língua inglesa pode ser traduzida como “chamada de volta”, “chamamento”; Com o Código de Defesa do Consumidor, (Lei 9078/90), os consumidores tiveram garantidos seus direitos de informação e de segurança contra defeitos de fabricação de produtos e serviços; No caso dos veículos, certo estava o Ex Presidente Collor, quando se referia aos aqui fabricados, chamando-os de verdadeiras “carroças” e Continue lendo

O fim de um motor

O fim de um motor

1. O motor refrigerado a ar teria sido encomendado por Adolf Hitler ao projetista Ferdinand Porsche, vinha com a solução de uma dificuldade, pois entre os planos do dirigente nazista estava o domínio do norte da África, com seus desertos e a escassez de água; Existiram muitos motores refrigerados a ar, mas a refrigeração a água mereceu um maior desenvolvimento e é considerada mais eficiente; 2. Chamado de “boxer”, pois o movimento de seus pistões guarda alguma semelhança com os movimentos dos punhos de um Continue lendo

O cinto de segurança

O cinto de segurança

1. Já se foi o tempo em que o uso do cinto de segurança era motivo de constrangimento e de piadas; As cidades de Manaus/AM e Criciúma, em SC foram pioneiras, tornando seu uso obrigatório, mesmo antes do CTB; com a nova Lei, seu uso ficou estabelecido, para todos os ocupantes do veículo; hoje, é “careta”, ultrapassado, desinformado, aquele condutor ou passageiro do banco dianteiro que não o usa; se VC, ouvinte, ainda tem “vergonha” de usar o cinto, tenha certeza de que eu prefiro Continue lendo

Os veículos de emergência

Os veículos de emergência

1. O comportamento dos condutores de veículos, quando ouvem a aproximação dos veículos de emergência, não raras vezes é fonte de problemas, muitas vezes pela falta de um mínimo de educação e de respeito, outras vezes pelo nervosismo, e outras vezes ainda pela falta de informação do que fazer nessas horas, causando não raras vezes atrasos na prestação do socorro. Não é raro observar-se que ambulâncias se envolvem em acidentes, logo com elas que deveriam proporcionar eficiência, conforto e rapidez no socorro público; o socorro Continue lendo